Segunda-Feira , 01 de Setembro de 2014

Cidade

Motoristas e cobradores de ônibus decidem amanhã se entram em greve

A categoria quer reajuste salarial, aumento no valor dos tíquetes alimentação, pagamento integral do plano de saúde e redução na carga horária

Em 02/05/2012 , às 11h02 -

Os trabalhadores do setor de transporte de Teresina realizam assembleia amanhã, (03) na sede do sindicato da categoria para decidir se aceitam ou não a proposta feita pelos empresários. A categoria está com indicativo de greve, que poderá começar na quarta-feira da semana que vem, caso as propostas sejam rejeitadas pela categoria.
Somente este ano já foram realizadas cinco audiências entre trabalhadores e classe patronal junto ao Ministério do Trabalho, mas nenhuma delas com resultados satisfatórios. De acordo com Francisco Antônio Azevedo, da diretoria Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário no Estado do Piauí (Sintetro), os trabalhadores do setor vem acumulando perdas salariais há dez anos. “Há dez anos atrás ganhávamos cerca de quatro salários e meio, e hoje não chega a dois, isso no caso dos motoristas. A situação é difícil e tudo indica que vamos mesmo entrar em greve e até as garagens vão parar, apenas 30 por cento dos ônibus vão funcionar”, informa Azevedo.
Os empresários oferecem um aumento de 8%, que seria concedido em duas etapas, valor considerado insuficiente para a categoria. “Eles alegam que não tem condições de dar o aumento, mas isso não é verdade”, critica Francisco da Chagas, diretor do Sintetro.
Reivindicações
As principais reivindicações da categoria são o reajuste salarial, aumento no valor dos tíquetes alimentação e o pagamento integral do plano de saúde, além da redução na carga horária. Atualmente, motoristas e cobradores recebem de salário R$ 1.104,00 e R$ 662,00 brutos, respectivamente. O sindicato reivindica 15% de reajuste para motoristas, totalizando cerca de R$ 1.270,00, e 65% desse valor para os cobradores, correspondendo a R$ 825,00.
Já os tíquetes alimentícios são pagos hoje, ainda de acordo com o sindicato, no valor de 350 reais para motoristas e 280 reais para cobradores. A proposta do Sintetro é que as duas funções recebam 404 reais de tíquetes cada. Além disso, a categoria também reinvidica que as empresas assumam integralmente o pagamento do plano de saúde. Atualmente, dos 72 reais pagos mensalmente pelo serviço, os funcionários pagam 28, enquanto a empresa assume o resto.
A categoria também quer a redução da carga horária de motoristas e cobradores, que hoje é de 7 horas e 20 minutos, para 6 horas.
De acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), as medidas relacionadas à reajuste de valores serão avaliadas este mês, quando será divulgado o INPC (Indíce Nacional de Preços ao Consumidor) no período de maio de 2011 a maio de 2012. Este índice é o que o Setut usa como base para calcular o reajuste a ser pago.
Teresina possui hoje cerca de dois mil profissionais entre motoristas e cobradores de ônibus. Antonio Azevedo alega que a greve é praticamente certa, mas somente a assembleia poderá ratificar tal decisão
 

Enviar por email

Comentário: Os comentários serão incluídos na mensagem

Comente esta notícia